segunda-feira, 26 de junho de 2017

ENTREVISTA COM O PREFEITO EUDES TENÓRIO


Há treze anos atrás o odontólogo Eudes Tenório Cavalcanti entrou para o cenário político de Venturosa disputando e vencendo sua primeira eleição. De personalidade forte e carismático, foi reeleito, elegeu seu sucessor, o farmacêutico Ernandes Albuquerque, e foi mais uma vez conduzido ao cargo de prefeito pela maioria dos venturosenses. O prefeito já havia sido entrevistado por esse blog durante sua campanha, assim como o candidato da oposição, Charlles Adriano.

Agora, com praticamente seis meses desse terceiro mandato concluídos, Eudes Tenório fala sobre obras e serviços entregues à população, dificuldades na administração, problemas de segurança pública e a convivência com críticas.

Lembrando que as opiniões do entrevistado são de sua responsabilidade e que a entrevista foi gravada, conferindo a maior fidedignidade ao que está escrito.
Comentários são permitidos, sendo vetado o anonimato.
Demais pessoas podem enviar artigos de opinião pela rede social

PROFESSOR EMERSON LUIZ ENTREVISTA O PREFEITO DE VENTUROSA, EUDES TENÓRIO CAVALCANTI.

Como você recebeu a prefeitura nesse início de mandato e quais suas primeiras ações à frente da Prefeitura?

Nós estamos, na verdade, em um grupo político que está no poder há doze anos. Então nós começamos o terceiro mandato onde a necessidade do povo ainda continua grande. Nós temos uma educação que precisa de um incentivo maior, a saúde, que representa um problema nacional, nós tivemos o cuidado durante esse doze anos de manter algumas coisas. Por exemplo, o bloco cirúrgico estava sem funcionar. Meu antecessor pegou um período difícil e o bloco cirúrgico foi fechado, nós estamos reativando agora a partir de julho, assim como o Raio X que pegamos sem funcionar e estamos com o ele funcionando, a ultrassom... faltava médicos no hospital e há seis meses estamos com uma equipe médica e temos médicos todos os dias, com enfermeiros, com técnicos de enfermagem, os postos de saúde com os 8 PSF’S funcionando, estamos agora com um projeto e vamos comprar um mamógrafo, um aparelho de endoscopia, tudo isso para o segundo semestre. Vamos começar a construção da quadra do Grotão, vamos cobrir a quadra das  Pedra Fixe, vamos cobrir a quadra da Escola Delmiro Alexandre, tudo isso com recursos próprios. Na saúde compramos quatro ambulâncias, duas delas com emenda parlamentar do nosso deputado Joaquim Lira e duas com recursos próprios, um carro para a Ação Social e um projeto para comprar um carro que comporte vinte e duas pessoas para TFD.
Então, todas essas atividades, nós estamos observando as necessidades do povo. Então, aquilo que é importante para o povo nós estamos tentando levar.

Fizemos 40 poços artesianos em nosso município e amanhã iniciamos a perfuração de mais 5 poços, então nosso município vem crescendo. Estamos também com um projeto de saneamento básico que desde 2010 estão executando, projeto pronto, está sendo concluído e saiu essa semana a licitação do resto de todo o saneamento básico do município e isso significa que ano que vem estamos com a nossa cidade saneada, então, são obras iniciadas e concluídas por nós que engrandecem o município.

Há muita coisa sendo feita. O que o senhor planeja para os próximos meses de mandato.

Para os próximos seis meses há a construção e cobertura de quadras escolares. Pagamento da primeira parcela do décimo terceiro salário agora no dia 10 de julho, 50% do décimo terceiro para todo funcionário, seja ele efetivo, contratado, comissionado, e  vamos entrar com decreto para a aprovação da barragem do sítio Mamoeiro.

Prefeito, vamos falar um pouco desse projeto. A promessa dessa obra é antiga, nós passamos por sete anos de seca, uma seca terrível, e agora Deus nos abençoou com chuvas. Essa promessa da barragem sempre esbarrou em problemas técnicos e legais. Uma parte das terras atingidas é território indígena. Como se dará esse processo para o projeto finalmente saía do papel?

Por meio de um projeto de lei ou decreto. Vamos entrar com ele no Congresso Nacional para aprovação da Barragem do Sítio Mamoeiro, que é a chamada barragem Venturosa, que deverá comportar até 30 milhões de metros cúbicos e que será a redenção de nossa região. Venturosa, Pedra e Alagoinha poderão se beneficiar desse projeto. Há uma lei que rege os territórios indígenas, então tem de entrar com esse projeto de lei no Congresso, sendo aprovado passamos para a discussão com os indígenas, mas na verdade todos os índios que terão uma pequena parte da terra atingida são favoráveis à construção da barragem porque eles vão ser beneficiados pela água permanente em suas terras, já que esse povo especificamente não dispõe de água em seus territórios.
Sempre ouço falar de obras que estão sendo feitas em Venturosa. Que obras são essas?
Nós estamos calçando as ruas da Bacurau, calçando a avenida Lumba Vaz até o seu final, ou seja, até a creche Maria das Dores Galindo Alexandre vai ser calçada, na Avenida Capitão Justino Alves nós estamos mudando o projeto das praças, onde serão refeitas, onde todas as praças terão lâmpadas de LED e um levantamento para colocar câmeras em toda a cidade...

Eu quero muito tocar nesse assunto. Uma das grandes preocupações, senão a maior preocupação dos venturosenses é com a questão da segurança pública. Sabemos que é um drama regional e que é obrigação maior dos governos federal e estadual, mas há ações que podem ser feitas pelo governo municipal. Até o governador falou sobre isso, então, o que o seu governo fará para contribuir com a segurança pública? Alguma reivindicação já foi feita ao governo do estado?

O município na verdade dá um apoio logístico, o apoio efetivo, na verdade é uma responsabilidade do governo do estado. A gente não pode dizer que o governo não falhou, falhou, só que está atuando para recuperar. Agora estão sendo formados mais de 2.500 homens que até agosto vão estar [em serviço]. Eu estive com o governador há uns sessenta dias atrás e o governador garantiu que vai melhorar esse sistema. Ele disse: “Eudes, não se melhora de um dia para a noite”. Quer dizer, isso é onde eu acho que houve falha, porque vem de um governo aí de dez anos. Então, houve a falha e o governo está tentando corrigir isso.
Até hoje já melhorou, hoje já tem uma viatura na rua, porque o governo do estado viu uma maneira melhor de administra, hoje os carros têm um aparelho que detecta se ele está rodando ou não, se saiu do perímetro de atuação, ele sabe! Quer dizer, hoje existe um monitoramento desse pessoal, o que está correto.
A nossa ajuda vai ser num sistema de câmeras, porque não ajuda eu colocar 10 guardas na rua á noite porque eles não tem o direito de prender ou de tomar ações mais efetivas. Nossa guarda municipal é para vigiar e zelar por prédios públicos, essa é a nossa obrigação [da guarda municipal], tomar conta dos prédios públicos, só que a gente dá uma força em determinadas áreas para ver se facilita. Mas vamos incrementar agora, vamos comprar duas motos para que eles possam monitorar o município, mas a gente vai ter um sistema de câmeras que vai monitorar muito melhor, o carro que entrar na cidade, que sair da cidade, a gente vai saber as 24 horas do dia.

Prefeito, algumas críticas que a gente vê nessa  parte de segurança é sobre o número de guardas municipais em Venturosa seria inferior ao que a cidade deveria ter. Isso corresponde a realidade?

Eu acho que pode até corresponder. Mas qual seria o número efetivo para resolver o problema? Veja bem, o problema da segurança pública é um problema de estado, nós temos de ter a segurança do patrimônio do município, essa é a obrigação do guarda municipal. Então, qual foi o patrimônio público do município que foi roubado nos últimos 12 anos? Não tivemos. Qual é a criminalidade de Venturosa? Ela está relacionada com o tráfico de drogas. Ela está envolvida com aqueles usuários de drogas, se você ver, entre as pessoas de bem e as famílias, não existe esse problema.
Agora, o roubo, aí vem um cara de fora, rouba o carro e vai embora. Houve agora uns dois, três roubos, mas se você for ver ao longo do tempo, isso tá acontecendo agora, por quê?  Porque em outras áreas tá acontecendo uma ação mais efetiva do governo do estado e os criminosos estão correndo para arrumar em outro canto.
Nós tivemos aí, há uns seis meses atrás, um período de roubo de celulares que era todos os dias. Acabou, diminuiu, pelo menos. E isso é uma coisa circunstancial, questão de tempo e tudo isso é resolvido. Agora, o governo do estado tem de tomar providências, porque um efetivo de três pessoas não resolve o problema do nosso município. A segurança dos prédios públicos tá monitorada, não estão roubando prédios públicos.

Então o senhor já reivindicou do governo estadual uma ação mais efetiva?

Já foi reivindicado e ele mesmo [o governador] foi quem disse que o policiamento de todas as cidades vai aumentar, tanto que estão sendo formados cerca de 4800 novos policiais. Saem 2.500 agora em agosto e mais 2.300 no final do ano. Quer dizer que todo esse efetivo vai estar em todos os 184 municípios do estado de Pernambuco.
Agora, a segurança é uma questão nacional. A gente sabe, quando apertaram em Maceió o bandido correu para roubar em Pernambuco. O arrombamento de bancos e a explosão de caixas eletrônicos aumentou em Pernambuco substancialmente, porque eles começaram a fazer um trabalho maior na Paraíba e em Alagoas e os caras partiram para cá. Para resolver tem de ser um conjunto, tem de ser uma política nacional, com a colaboração de todos os estados para que se resolva esse problema.

Retomando o tema da administração municipal. Qual a maior dificuldade de administrar uma cidade como Venturosa?

A maior dificuldade hoje é o emprego. O desemprego no país atingiu 14 milhões, e esse desemprego tá aonde, tá no município, não é um número solto, ele está aqui, está em Pedra e em todas as cidades. Passamos por um período de estiagem de cinco, seis anos, hoje a gente já vê o alívio da população. Quem morava na Rua Nova, Multirão, Cohab, tinha de pagar R$ 20,00 por 1.000 litros de água. Dá para quantos dias para uma família dessas onde não tem um emprego porque geralmente trabalha no campo, numa fábrica de queijo e essas pessoas não têm onde buscar outro recurso porque o cara lá, dono da empresa, tinha 10 empregados na firma e agora só tá com 5. Porque antes ele fazia 1.000 quilos de queijo por dia e agora só faz 500. Ele fazia 100 só faz 50, então em vez de contratar uma pessoa ele produz junto com a mulher. Então esse quadro ocorreu durante esses seis anos, devido a dificuldade da nosso estiagem. Agora hoje a gente já vê o nosso agricultor respirando melhor porque o gado tá no pasto, o cara não paga mais a água então isso já trouxe um grande benefício para o município.

Ainda sobre administração do município. A gente tá vendo as mudanças que ocorreram a nível nacional e que o presidente temporário do Brasil, Michel Temer, aprovou uma lei que limita os gastos públicos e isso deve influir diretamente nos municípios. Então você prefeito eleito para um terceiro mandato, governou em dois deles com o governo Lula, que tinha mais recursos, e agora vai governar, a partir do ano que vem, com uma limitação de gastos e possivelmente com menos recursos. Então como você está se preparando para manter serviços obrigatórios como pagamento de funcionários e garantir investimentos em saúde e educação, por exemplo?

Essa lei foi aprovada e vai entrar em vigor a partir do ano que vem. Como eu estou em um terceiro mandato, hoje tá diferente do meu primeiro mandato. A questão financeira hoje é diferente, agora como gerenciar isso? Com contenção. Hoje nós temos uma despesa de quase um milhão e meio com folha de pessoal, então a gente tenta segurar o máximo possível a despesa em 50% daquilo que a gente arrecada. Agora, a partir do ano que vem, até setembro, outubro, a gente vai ter como modelar o que a gente quer fazer no próximo ano. Nesse ano fiz do começo do ano até março.
Até março fiz as economias necessárias para que se comprasse ambulância, para que se colocasse o hospital para se funcionar 100%, para que se colocasse a educação para funcionar 100%. Essas contenções nós fizemos nos primeiros 90 dias porque a questão nacional afeta demais os munícipios. Como atingiu com a questão de emprego, atingiu com a questão de saúde e educação. E ano que vem isso talvez tenha uma limitação. Mas a lei não visa reduzir, ela prega uma limitação. Nós temos de conviver não com o aumento de despesas, mas com a contenção dentro daquilo que a gente arrecada.

Seu governo sempre exalta o pagamento dos funcionários. Como se programa para isso?

Veja bem. O funcionário é a prioridade do município. Nenhum casa funciona se você não tiver à frente alguém para administrar. Quem administra é o funcionário que está na saúde, na educação, na ação social, eu estou aqui, digamos, como um maestro dessa administração municipal. Então, a prioridade maior é pagar a quem administra, que são os funcionários. O meu funcionário tem a prioridade de receber adiantado e em dias porque é a minha prioridade, a minha obrigação. Dizem que é obrigação, e é! Agora alguns gestores não cumprem com a sua maior obrigação que é pagar aos seus funcionários em dias.
Sobre os servidores da educação. Como você justifica o salário dos contratos e se você vai valorizar o professor do município?
Veja bem, o nosso funcionário efetivo e temos um piso nacional que ele recebe  Nós temos um regime de 150 horas/aula e ele recebe. Temos sugestões para aumentar, mas tem de ter um projeto de lei, de ser aprovado para aumentar. Mas se eu aumentar a carga horária de 150 para 200 horas-aula eu vou ter de reduzir a quantidade de professores. Concorda comigo?
Você é um professor, se você trabalha 150 horas e passa a trabalhar 200, eu vou ter de tirar 50 horas de alguém e depois vou ter de reduzir o número de professores. Isso não é um objetivo meu. Digo tranquilamente que não é meu objetivo aumentar carga horária e reduzir a quantidade de professores no município.
Agora a questão salarial é uma questão nacional e quem dá o reajuste do piso nacional é o governo federal e estamos cumprindo exatamente o que o governo federal autoriza.

Mas nos caso dos contratos, que é a minha dúvida maior. Eles ganham abaixo do piso nacional.

Esse ano nós fizemos o contrato em termos de salário mínimo e colocamos até uma quantidade maior do que o que era previsto. E, como eu disse, nos primeiros 90 dias fizemos uma contenção de despesas e agora, no segundo semestre vamos ver o que podemos fazer com esses contratos que estão abaixo do piso.

Como todo político, você é um homem público. O Brasil vive um clima muito polarizado, de muita rivalidade política e de muita agressão, principalmente em redes sociais, onde as pessoas se agridem muito por conta de opiniões políticas. Então, você enquanto político, lida com a oposição que é feita ao seu governo e como as pessoas, que apoiam você, deveriam lidar com essas críticas, que na verdade são tão normais?

Na verdade, a democracia exige que tenha situação e oposição. Nós temos na situação um grupo político  muito bom e coeso, tem divergências, tem de der. Agora a gente tem uma oposição que não sabe fazer a política deles. Você atacar, você criticar, é normal. Agora, o ataque aquilo que não está errado, eu não acho justo, mas eu respeito a opinião de cada um.
Nós estamos aí há dezesseis anos e com a política que eles fazem, vai para mais um pouco. Porque eles se perderam em 2000 e ainda não acharam o caminho certo para trilhar amanhã uma vitória.
O que eu acredito, enquanto cidadão, filho de Venturosa que passei quatro anos fora, observando, eu não vejo um grupo político para disputar uma eleição amanhã e dizer: “olha, não vamos ganhar uma eleição”. Eu não vejo. E politicamente não vou nem falar. Eu acho que a gente não perde uma eleição para um grupo político desse porque não tem grupo, não tem nome e não procuram fazer um nome. Eu quero que me mostre alguém que trabalha por Venturosa, porque você ir sentar num bar, beber e criticar é fácil. Agora, vá administrar, pegue um município com dificuldades, com a arrecadação pequena, um governo federal com mil e um problemas lá, onde para a gente conseguir tem de ir por vários caminhos, então, para quem tá na oposição é fácil. Agora, procurem fazer pelo povo. Não se preocupem comigo, deixem que a minha parte e a do nosso grupo nós fazemos.
Agora a oposição não sabe ser oposição, ela critica só por criticar. Ela diz que você não fez, mas se você for lá está feito. Nós estamos aí com quantas barragens cheias? Mais de 1000. Quero que me mostrem um sítio onde não tem uma barragem feita por Eudes. Então como uma oposição dessa pode criticar um governo desse? Eles que passaram quatro anos no poder e não fizeram nada, não mostraram nada.
Não tem nada feito! Me mostrem um prédio público com uma placa deles. “O prédio tal foi feito durante o governo vermelho” Então como podem criticar nesse sentido?

Mas seu governo também foi criticado nas redes sociais pelas atrações das festas do município.

A questão das festas do município, que são criticadas por alguns e eu até entendo, o que eu não posso deixar é de pagar ao funcionário nem deixar o hospital sem funcionar para atender a uma parte da população que quer uma grande banda. Quer dizer, festa de março nós fizermos um dia e eu li em algum lugar que o cantor era um cantor de show cinco, de dez mil reais.
Eu faria até um desafio a essa pessoa, que eu daria os dez mil reais a ele e ele contrataria o mesmo cantor para vir tocar. Dia 7 de setembro nós temos a festa da independência e eu daria esse valor para o mesmo cantor vir tocar.
O que ocorre é que as críticas são infundadas. Eles não sabem quanto custa para uma banda vir para o município e eu não vou deixar de investir na saúde, na educação, para trazer uma grande banda para Venturosa.
Outra coisa, no São João nós colocamos bandas pequenas porque em toda região existem bandas extraordinárias de shows que custam 200, 300 mil reais. Nosso município não comporta isso e nem eu iria gastar 300 mil reais com uma banda. 
Aqueles que querem uma banda grande podem se deslocar daqui para Arcoverde e fazem uma grande festa, que é importante. Agora, as nossas grandes festas são em março e dezembro. O São João não é uma festa onde nós trazemos grandes atrações porque tem em quase todas as grandes cidades, então o pessoal se desloca e isso já é uma cultura antiga. Não é de hoje que essa prática é feita. Agora, nossa prioridade não são as grandes festas com essas bandas, o Arraial na Minha Rua, por exemplo, está sendo um sucesso.

Prefeito, suas considerações finais para os leitores do blog.

Eu quero agradecer a você, Emerson, pela oportunidade de falar em seu blog. Quero dizer ao povo de Venturosa que meu compromisso de trabalhar quatro anos continua de pé. Passamos esse primeiros meses colocando as coisas em ordem e quando digo em ordem quero dizer e acordo com o meu pensamento enquanto gestor, a linha do nosso grupo.
Eu disse que não iria deixar Venturosa nem sair da vida pública sem deixar Venturosa saneada e sem deixar Venturosa com água. E isso nós estamos no caminho certo.  No futuro o povo de Venturosa vai dizer assim: “Olha, nós temos todas as nossas ruas saneadas e foi o prefeito Eudes que fez o projeto e inaugurou a obra”. Nós vamos fazer essa barragem, se Deus quiser. Se não for para 30 milhões de metros cúbicos, será a 3 milhões, mas que nós vamos fazer nós vamos, esse é o nosso objetivo e só não será feito se nosso Senhor Jesus Cristo não quiser.
Agora, ao povo de Venturosa quero deixar um abraço e pedir que compreendam que vivemos em um período de dificuldade. Agora a prioridade do nosso município: nosso funcionário, a saúde e a Educação, essas três peças chaves do nosso governo, vão continuar durante esses quatro anos.




sábado, 24 de junho de 2017

PRESIDENTE DO PDT EM VENTUROSA, ADRIANNO DO POSTO, COMENTA OS SEIS MESES DE GESTÃO MUNICIPAL EM REDE SOCIAL

O presidente do PDT em Venturosa, Adrianno Alexandre Galindo, conhecido popularmente como Adrianno do Posto, usou de seu perfil na rede social Facebook para comentar sobre os seis primeiros meses da gestão municipal. Enquanto os apoiadores do atual prefeito têm usado a rede para divulgar obras como a perfuração de poços artesianos e o calçamento de algumas ruas, Adrianno expôs o contraditório.

No que diz respeito à perfuração de poços, ele diz que muitos desses poços teriam sido perfurados em propriedades de aliados políticos e aponta o que seriam pontos negativos da atual gestão.

Alguns dos pontos indicados por Adrianno que faltariam à Venturosa:



Falta de transporte para levar os munícipes para irem a recife para realizarem consulta medicas;-
Falta ônibus para os alunos irem a escola;-
Falta transparência ( a administração nega informação aos vereadores [ da oposição]);(....)
-Falta incentivos para a pecuária e agricultura;
-Falta ações de incentivos para nossa maior fonte de renda: lacticinios;
-Falta segurança;-Falta um prefeito que atenda o povo na prefeitura;
-Faltava pipas para distribuir água na seca e agora falta máquinas para arar terras ( em caetes e Saloa foram 10 maquinas em cada cidade);
-Falta açougue limpo e de acordo com padrões sanitários;
-Falta festa para atender a demanda da nossa juventude, além de aquecer o comércio local ( lojas de roupas, calçados e salões de beleza, etc;)
-Falta incentivos para os esportes;(....)
-Falta iluminação pública;-Enfim Falta muita coisa para atendê as pessoas e desenvolver o nosso município!


A postura do presidente do PDT municipal mostra o perfil da nova oposição em Venturosa. As lideranças políticas que se apresentam no campo oposicionista são jovens, aguerridas e estão em contato com a população. Visitam as bases políticas, participam de eventos comunitários e discutem a cidade. Adrianno ganhou notoriedade como um dos articuladores da campanha de Charlles, candidato derrotado pelo atual prefeito Eudes Tenório e tem se firmado como uma das vozes mais ativas dessa nova geração política.

O grupo do qual faz parte procura reconstruir o chamado partido vermelho, que antes foi prejudicado por disputas internas e traições políticas. O "novo vermelho" como alguns se referem ao grupo, parece estar disposto a fazer oposição como Venturosa há muito não via.

O blog disponibiliza o espaço para o contraditório. Caso algum cidadão ou membro do governo queira se manifestar é vedado apenas o anonimato.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

SOBRE AS AMBULÂNCIAS ENTREGUES EM VENTUROSA

Tenho paixão por falar de minha cidade e isso me leva a manter um blog sobre ela. Por ser fiel aos meus ideais, há dias que recebo elogios e críticas e por tratar de temas políticos já sofri perseguições, ataques e difamações de eleitores de todos os partidos da cidade. É o preço que se paga por ser fiel aquilo que se acredita.

Então, como uma notícia do meu blog ganhou conotação partidária, me sinto na obrigação de me posicionar, já que o intuito do post em questão não foi fazer partidarismo.

O mesmo veículo foi apresentado às comunidades do Distrito do Grotão e da Vila do Tará para anunciar que essas comunidades receberiam ambulâncias. O fato foi esclarecido por telefone por um membro do governo municipal. Noticiei a entrega de duas ambulâncias por ter sido informado num primeiro momento que cada comunidade recebeu um desses veículos.

No intuito de esclarecer o mal entendido, liguei para pessoas que podiam me informar sobre isso e a versão é essa. A prefeitura comprou as ambulâncias, uma já foi entregue e a outra o será o mais breve possível. A empresa que ganhou a licitação enviou uma e a outra ou outras chegarão em breve. Não houve intuito de enganar a população, nem por parte do governo municipal nem por parte da minha pessoa, tanto que atualizei o post para explicar aos meus leitores o que ocorreu.

Escrevo porque amo minha cidade, opino sobre o que acho correto ou errado, errei tanto quanto acertei e isso me trouxe até aqui. Que os grupos políticos e suas lideranças trabalhem pelo povo, debatam, critiquem o que deve ser criticado e que o povo sempre escolha o que julgar melhor. Só não partidarizem meu blog. Tenho minhas preferências, como qualquer um, mas minha escrita não serve a partidos.

Espero que entendam.

Que Deus ilumine a todos e nos faça crescer em sabedoria para o exercício da plena cidadania.

Emerson Luiz

quarta-feira, 21 de junho de 2017

ELEGANCE CERIMONIAL AINDA MAIS PREPARADO PARA FAZER DO SEU SONHO UMA REALIDADE

O ELEGANCE CERIMONIAL, Eduardo Quirino Assessoria, tem ganhado destaque no mundo social de Venturosa e região. Em pouco tempo imprimiu seu nome como garantia de qualidade nos mais diversos eventos. Casamentos, aniversários, bodas, formaturas, seminários, palestras, seja qual for a sua ideia, o Elegance Cerimonial pode agregar valor ao seu evento e contribuir para que seu sonho vire realidade.

Em busca da excelência e de elevar ainda mais a qualidade do serviço prestado, o assessor Eduardo Quirino participou da Expo Fashion Noivas, uma das maiores feiras desse seguimento na America Latina. O sucesso do Elegance Cerimonial se traduz no sucesso do seu evento. 

10 entre 10 clientes recomendam o Elegance Cerimonial. A razão você já sabe, tudo fica melhor com um toque de elegância.

COLUNA DE QUARTA: AMBULÂNCIAS, REDES SOCIAIS E POLÊMICAS

Imagem da rede social Faceboo

O PREFEITO DE VENTUROSA, Eudes Tenório Cavalcanti, entregou duas ambulâncias, uma no distrito do Grotão e outra na vila do Tará. Os veículos foram adquiridos com recursos próprios e disponibilizados para o transporte de pacientes dessas localidades.

A entrega da ambulância do distrito do Grotão foi realizado em meio a uma festa tradicional da comunidade e contou com a presença de várias lideranças políticas.

ATUALIZADO - Imagens das redes sociais apontam que a ambulância entregue no distrito do Grotão é a mesma que foi apresentada na vila do Tará. Procurada pelo blog a Secretaria de Saúde informou que o motivo é que foram licitadas ambulâncias para as duas localidades, só que no dia da entrega simbólica, apenas uma havia sido entregue. O órgão reiterou que são duas ambulâncias e que uma ficará á disposição do Grotão e uma ao Tará. Ainda há expectativa que outras novidades possam ser anunciadas em breve.

POLÊMICAS NAS REDES SOCIAIS. Tão logo foram anunciadas as atrações que se apresentaram na praça de eventos a rede social foi inundada por manifestações que aprovavam ou desaprovavam os artistas contratados. Os críticos defendem que a festa deveria ter, também, a presença de artistas de destaque regional. Os defensores dizem que os artistas locais possuem talento mais que suficiente para animar os festejos e que a prioridade do Executivo não deve ser a realização de grandes eventos e sim o cuidado para com a cidade. Os dois podem estar certos.

ALÉM DA POLÊMICA SOBRE OS ARTISTAS as redes sociais também estão sendo usadas para cobrar serviços de saneamento básico e de iluminação pública em algumas ruas. Os mesmos cidadãos que cobram ou cobraram por mudanças na política nacional têm passado a observar de forma mais crítica para o lugar onde vivem.

É PRECISO TER COERÊNCIA - Embora as redes sociais sejam território livre, é preciso filtrar o que é dito ou aquilo que se quer dizer. Os artistas locais têm talento de sobra para animar as festas da cidade e não merecem críticas por desejarem se apresentar na cidade onde nasceram e que tanto amam. O direito de expor a opinião é um dos pilares da democracia, mas deve sempre respeitar o contraditório. 

Conviver com a crítica, nem sempre justa, é dever dos agentes públicos. As cobranças por melhores serviços serão cada vez mais constantes na sociedade informatizada e os governos devem se adequar a isso, criando canais para melhor dialogar com a população e esclarecer o que pode ser realizado por ele e o que não.

CUIDADO PARA NÃO PARTIDARIZAR TUDO. Nesses tempos de Lava Jato e caça às bruxas o Brasil está radicalmente polarizado e muitas dessas cobranças acabam caindo na onda do partidarismo. Se critica ou se defende determinada postura por se pertencer ou não a um grupo político e isso não é sadio para ninguém. 





terça-feira, 20 de junho de 2017

Festas Juninas em Venturosa destacam artistas locais

A prefeitura de Venturosa divulgou as atrações para as festas de São João e São Pedro. O governo municipal deu destaque aos artistas locais. No dia 23 a animação fica por conta de Arlindo Neto e a banda Virados do Forró. No dia 29 a festa começa com Wagner Carvalho e termina com Joelson Rodrigues. O mês de junho foi marcado pelo Arraiá na Minha Rua e pelas festas tradicionais de comunidades, como a tradicional festa do Grotão. 

A expectativa para os grandes shows de artistas consagrados a nível regional se concentra nos festejos de fim de ano. 

sábado, 17 de junho de 2017

MAIS UM ROUBO DE VEÍCULO EM VENTUROSA. POPULAÇÃO REVOLTADA PEDE AÇÕES DOS SEUS GOVERNANTES PARA BARRAR O CRIME


Mais um roubo de veículos foi registrado na cidade de Venturosa, região agreste de Pernambuco. Dessa vez foi uma moto Honda, placa, OYV-7843, pertencente ao amigo Orlando do restaurante Flor do Mandacaru.

Informações nos números  992088338 ou 991081215

CRIMINALIDADE AUMENTA EM VENTUROSA De 06 de abril até a data de ontem, 16 de junho, foram seis roubos de veículos. O primeiro com sequestro relâmpago do seu proprietário, um que foi recuperado, outro que terminou com um carro incinerado, um com desmanche do veículo, e dois que ainda não foram localizados.

Nossa cidade sofreu com uma onda de roubos de aparelhos celulares. Nossos comerciantes vez ou outra são vítimas de criminosos e crimes bárbaros já ocorreram esse ano, marcando profundamente nossa comunidade.

E o que está sendo feito, de fato, para combater a criminalidade? O governo estadual anunciou a compra de viaturas. Essa ação isolada pode ser encarada como uma gota de água no oceano. Por todo o estado vemos casos de delegacias sucateadas, relatos de baixo efetivo policial que é obrigado a trabalhar em jornadas exaustivas, sem equipamento adequado e relegados à própria sorte.

O Pacto Pela Vida parece ter falecido.

No âmbito municipal ainda não foram implantadas políticas locaias que atuem na diminuição da criminalidade. Nem de forma preventiva nem de forma ostensiva. Medidas simples, como a instalação de câmeras de vigilância e maiores investimentos na guarda municipal, para que esta trabalhasse integrada com as polícias civil e militar, fornecendo informações e criando um clima de segurança em nosso município parecem coisas distantes de Venturosa.

Quem sofre com a falta de segurança são todos os extratos da sociedade. Enquanto nossas autoridades esperam uma solução mágica, esses veículos vão virando estatísticas, assim como o prejuízo dos seus donos e os bens mais preciosos que se perdem quando o crime avança também vão virando números em um mapa cada vez maior de violência em Pernambuco: as vidas humanas que se perderam por inercia dos que se elegeram prometendo solucionar os problemas de nossa sociedade.

Esse clima de insegurança tem contribuído para disseminar o sentimento de ódio na população e favorecido que aventureiros com ideias polêmicas e quase beirando o fascismo ganhem espaço no cenário político, o que a longo prazo também poderá gerar grandes problemas ao país.

Segurança pública é coisa séria e precisa de uma atenção especial por parte dos nossos gestores públicos. Nós, enquanto cidadãos, devemos cobrar ações e reivindicar nossos direitos. Ou os políticos acordam ou a voz das ruas irá se manifestar nas urnas. 

ENTREVISTA COM O PREFEITO EUDES TENÓRIO

Há treze anos atrás o odontólogo Eudes Tenório Cavalcanti entrou para o cenário político de Venturosa disputando e vencendo sua primei...