segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

OBRAS DO EIXO LESTE DA TRANSPOSIÇÃO AVANÇAM EM PERNAMBUCO

A polêmica obra da transposição das águas dos Rio São Francisco avança em seu eixo leste. Parceria com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo tenta antecipar o prazo de conclusão. A população sertaneja espera com um sentimento dúbio de esperança e incredulidade.

O Ministério da Integração Nacional e o governo paulista fecharam um acordo para o empréstimo de quatro conjuntos de motobombas e outros equipamentos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) para o Projeto de Integração do Rio São Francisco. O objetivo é antecipar a chegada da água do São Francisco aos estados da Paraíba e de Pernambuco.
Apesar do Projeto de Integração estar próximo à conclusão, o governo federal quer agilizar a chegada da água à população a ser beneficiada, que amarga o quinto ano seguido de seca. Os equipamentos vão acelerar a passagem da água pelas estruturas do eixo Leste do projeto e permitir que a região de Campina Grande, na Paraíba - um dos estados mais atingidos pela seca - seja beneficiada no começo de 2017.

“O objetivo é garantir a chegada da água ao destino final do eixo leste com 30 dias de antecipação e assim atender o quanto antes a população que hoje sofre com a estiagem em Pernambuco e na Paraíba”, disse o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, na solenidade de assinatura do Termo de Cessão de Uso Não Oneroso dos equipamentos da Sabesp, ocorrido no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista. O governo federal fica responsável pelas despesas de transporte e seguro dos equipamentos durante o período de uso, previsto para 120 dias.

Em passagem pelo sertão do estado parei para observar as obras do eixo Leste em Pernambuco. Conversando com um operário da obra perguntei: "Tem previsão de quando vão concluir isso?".

A resposta veio na batata: "Aí só Deus sabe!"

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

2018 PODE SER DE PAULO CÂMARA

O ano de 2018 é incerto pelo momento vivido no país. A crise econômica foi agravada pelo golpe chapa branca com apoio da mídia e parte do judiciário que apeou a impopular presidente Dilma do poder e colocou no lugar o inepto e neoliberal Michel Temer. A operação Lava Jato ainda não é vista pela maioria como tendenciosa e os nomes citados seletivamente carregam a marca de culpado assim que estampam manchetes na mídia marrom. Desse modo todos são muito comedidos ao tecerem comentários sobre o cenário político de 2018.

O samba do criolo doido a nível nacional não toca em nosso estado no campo político. Mesmo com tantos pernambucanos ocupando ministérios, o governador Paulo Câmara pode levar 2018. Os hoje ministros Bruno Araújo e Mendonça Filho necessitam de fortes apoios para decolar. Armando Monteiro age como possível candidato, mas sumiu após a derrota nas urnas.

O PSB tem uma forte estrutura política montada, a crise é colocada como culpada de tudo e o estado de Pernambuco tem honrado parte dos seus compromissos. Entre o mal conhecido e aquele que não se conhece o pernambucano poderá optar por reconduzir o governador.

O todos por Pernambuco será o laboratório da corrida pelo Palácio do Campo das Princesas. O governador baterá todos os campos do estado e poderá fazer corpo a corpo com prefeitos além de repactuar as metas do governo e dar sua versão para o não cumprimento do plano de governo apresentado na última eleição.

Muitos servidores têm motivos para reclamar do governador, como é o caso dos policiais, mas caso consiga manter os prefeitos orbitando em torno dele, Paulo Câmara poderá assegurar 2018 já em 2017.

TAL PAI, TAL FILHO? JOÃO CAMPOS É COTADO PARA DEPUTADO E VAI PERCORRER O ESTADO JUNTO COM O GOVERNADOR PAULO CÂMARA

O herdeiro político do falecido governador Eduardo Campos, João Campos, percorreu 52 municípios pernambucanos na eleição passada após o trágico acidente de avião que vitimou o pai. Após a retumbante vitória de Paulo Câmara ao governo do estado, João tornou-se chefe de gabinete do governador. O episódio rendeu muita polêmica e a expressão #meuprimeiroemprego ganhou as redes sociais. Agora, conhecedor dos meandros políticos e com experiência própria, João Campos irá percorrer todo o estado junto ao governador em mais uma edição do Todos Por Pernambuco, espécie de seminário onde população, lideranças e políticos debatem a gestão do estado e sugerem passos a serem dados.

Ao que parece o filho saiu o pai. Em breve teremos notícias de João.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

A CAMISA ENSANGUENTADA

O pastor evangélico que se auto intitula "apóstolo" foi agredido nessa semana.

No domingo o pastor Valdemiro Santiago foi agredido por um jovem que o golpeou com um facão no pescoço. O pastor foi levado a um hospital de renome e em poucas horas liberado.

Seu agressor sentiu-se incomodado com suas palavras. O mundo anda mesmo louco. Um líder religioso atacado no templo da igreja que fundou e preside. Onde vamos parar?

Então, mesmo não sendo fã de Valdemiro, sou contrário à violência. A liberdade religiosa deve ser garantida e respeitada. O jovem, se for constatado que tem problemas mentais, deve ser tratado, se não, julgado de acordo com a lei.

O pastor Valdemiro foi vítima nesse caso, mas não deixou nem mesmo a poeira baixar e já desafia aqueles que não são fãs a questionarem suas atitudes. 

A camisa ensanguentada do pastor já obra milagres, de acordo com reportagem da revista VEJA.

Passaram até a camisa ensanguentada no manto. Quando ela [a fiel] tocou no manto, ela aplumou. Foi curada. O demônio fez o serviço dele, mas acabou dando o contrário. No acerto de contas com o diabo, foi assim: ‘E aí, como é que foi com o Valdemiro? O saldo foi negativo. Porque teve até gente que saiu curada'”, diz o pastor, que se autointitula apóstolo. “A unção está na nossa roupa, no nosso copo, no nosso relógio, na nossa aliança, no nosso chapéu, no nosso sangue”, explica Santiago, fazendo a ressalva de que o poder vem de Deus e não dele.

Como assim? A unção de Deus está nos objetos usados pelo pastor? Já tem gente sendo curada pela camisa ensanguentada?

Desde os tempos de Jesus explorar a fé alheia é um delito grave. O Filho de Deus nunca aceitou ofertas pessoais, não ostentou nem adquiriu propriedades. Jesus não promoveu cultos de libertação nem fogueiras santas. O filho do carpinteiro de Nazaré tinha ideias bem diferentes de muitos dos que hoje dizem falar em seu nome.

É fácil se auto proclamar apóstolo. Difícil é se comportar como os bons.

Dos doze acho que só um seria capaz de agir parecido com o pessoal da camisa ensaguentada que cura. Era o que cuidava da bolsa, o que gostava de moedas de prata.

O mesmo que vendeu seu mestre e o traiu beijando-o.

Acho que o nome dele era Judas.




domingo, 8 de janeiro de 2017

A VELHA POLÍTICA ENTRE NÓS



Numa rápida passagem pelas redes sociais vi que em vários municípios os novos prefeitos encontraram prefeituras saqueadas e sem condições de funcionamento. Numa foto emblemática um prefeito despachava de pé porque não havia uma cadeira sequer no prédio da prefeitura.

Grandes jornais estampavam matérias que mostravam que em algumas cidades computadores foram formatados e todos os dados de secretarias de saúde e educação foram apagados. Os grupos políticos derrotados praticaram, Brasil afora, a tática de terra devastada, mas quem sofre com isso não é o prefeito eleito, é o povo!

As cidades que não reportaram essa realidade ou tiveram a sorte de ter um prefeito democrata ou testemunharam a manutenção do poder pelo mesmo grupo.
É o sinal de que a Nova Política é presente nos discursos de palanque e ausente dos atos de governo. O sucateamento do município é a prova incontestável de que aquele que se retira nunca pensou em estar a serviço da população, mas em se servir dela. O poder pelo poder e nada mais.

Cabe a nós forçar na mudança de pensamento, o que não ocorrerá se formos seletivos em nossa indignação ou omissos na cobrança de nossos direitos. O ano que se inicia será difícil para os prefeitos eleitos então os perdulários devem ser censurados.
O cumprimento das promessas de mais saúde e educação devem pautar os novos governos e no caso dos municípios nordestinos há ainda outra prioridade: o abastecimento de água. Em Pernambuco o Pacto pela vida faleceu há tempos e a causa da morte ainda não foi divulgada pelos legistas. A violência explode nas cidades, o desemprego aumenta e muitos prefeitos faliram seus municípios.

A velha política ainda está entre nós. Ainda existem parasitas, bajuladores e aqueles que confundem o público com o privado. Os tempos clamam por mudanças e elas devem ser protagonizadas pela sociedade que não aceita mais pagar a conta de erros dos seus governantes.


Nas cidades onde os governos terminaram bem avaliados a população espera pela continuidade de boas políticas e correção de erros ainda existentes. O povo quer qualidade e eficiência, transparência com os gastos públicos e condições que proporcionem melhoria de vida. Se vestir de gari como o prefeito de São Paulo ou doar sangue como o do Rio de Janeiro podem gerar imagens fortes, mas não significam comprometimento com o povo que os elegeu nem expõe as qualidades que devem acompanhar um bom gestor. Fotos assim são como aquelas velhas fotos de campanha onde candidatos colocavam crianças no braço ou abraçavam os pobres. Sinais da velha política que ainda está viva entre nós.

Emerson Luiz

CHARGE: ACIDENTE OU CHACINA?


quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

CONVITE PARA SEPULTAMENTO DE JUVENAL ALVES PEREIRA

Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;
João 11, 25



Sua esposa, Josemilda de Araújo Bezerra Alves, seus filhos Matheus e Marcos, irmãos e demais familiares convidam a todos a participar do sepultamento de Juvenal Alves Pereira, que ocorrerá no dia 05 de janeiro de 2017. O velório ocorre na funerária Santa Mônica, próximo a Unidade de Saúde Justa Maria Bezerra (Hospital de Venturosa) e de lá seguirá o cortejo para o sepultamento no cemitério da Saudade às 9h00 da manhã.

A família enlutada agradece desde já a todos pela presença nesse ato de fé e solidariedade cristã.

O ano de 2017 começou com violência e dor para os Venturosenses. Luto por Juvenal.

Na manhã de hoje a violência fez mais uma vítima em Venturosa. O moto-taxista Juvenal Alves Pereira foi baleado em frente à sua residência e veio ao óbito. A morte violenta de Juvenal, homem trabalhador e devotado pai de família, nos questiona de forma contundente sobre a sociedade que estamos criando. Que lugar é esse onde as pessoas não possuem qualquer segurança? Onde vidas são ceifadas por pessoas que tem a certeza de sua impunidade? Ninguém merece partir dessa forma. Nenhuma família merece sofrer tamanha dor.

Ao mesmo tempo em que nos enlutamos com a família, devemos cobrar de nossas autoridades medidas que combatam a violência que domina nossa cidade. 

Que o bom Deus console os familiares e lhes dê a força necessária para suportar essa dor tremenda.

CONVITE PARA SEPULTAMENTO

Sua esposa, Josemilda de Araújo Bezerra Alves, seus filhos Matheus e Marcos, irmãos e demais familiares convidam a todos a participar do sepultamento de Juvenal Alves Pereira, que ocorrerá no dia 05 de janeiro de 2017. O velório ocorre na funerária Santa Mônica, próximo a Unidade de Saúde Justa Maria Bezerra (Hospital de Venturosa) e de lá seguirá o cortejo para o sepultamento no cemitério da Saudade às 9h00 da manhã.

A família enlutada agradece desde já a todos pela presença nesse ato de fé e solidariedade cristã.
  

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

OPOSIÇÃO UNIDA E RENOVADA EM 2017

Vereadores do Grupo de Oposição - Dedê, Carlão e Nêgo.
Os vereadores eleitos pelo grupo de oposição em Venturosa, Carlão, Dedê e Nêgo demonstraram unidade no processo de eleição da mesa diretora da câmara de vereadores. O grupo governista apresentou a chapa que terminou sendo eleita formada pelos vereadores Nicácio (Presidente), Valderlan (1º secretário) e Vacy (2º secretário). Dos 11 vereadores, 8 fazem parte da base do governo. A oposição apresentou uma chapa não por acreditar na chance da vitória, mas para simbolizar o seu compromisso com seus eleitores. "Estamos na oposição porque o povo nos quis na oposição", afirmou o vereador Dedê em referência aos votos recebidos pelo partido vermelho, "e devemos encarar com dignidade o trabalho que nos foi confiado pelas urnas".

O vereador Dedê afirma que usará da experiência adquirida durante o seu primeiro mandato como vereador para realizar um mandato ainda melhor. Ele também enxerga que o grupo vermelho passa por um momento melhor que no mandato anterior. "Os três vereadores eleitos têm convicção do seu papel, diferente de quando eramos cinco mas dois não tinham muita certeza de onde estavam. A qualidade há de ser melhor que a quantidade nesse caso".

Segundo o legislador a oposição vai atuar sem ódio, sem rancor, mas a serviço da legalidade e em busca da transparência, 'sem nenhum receio de procurar ajuda do Ministério Público para assegurar a função de fiscalizadores do Executivo e do que é próprio na atuação do legislativo municipal".

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

O DESAFIO DE EUDES

Prefeito Eudes Tenório na cerimônia de posse - Imagem Nilton Santos - NF Studio

Ontem o dia foi de festa para o prefeito Eudes Tenório Cavalcante. Na Missa de ação de graças o prefeito usou um tom comedido em suas palavras, lembrando das dificuldades que todo município pequeno enfrenta e no sentimento de gratidão que sente por mesmo diante dessas dificuldades ser escolhido pelo povo, numa terceira vez, para conduzir a cidade. Pela tarde foi diplomado prefeito junto com o vice-prefeito Iterbo Galindo, com os vereadores municipais (cuja maioria compõe sua base de governo) e participou da cerimônia de entrega das chaves pelo ex-prefeito Ernandes Albuquerque. O povo estava eufórico. Eudes é um político carismático e audacioso, um prefeito testado por duas gestões e um líder nato.

Os milhares que lotaram a praça de eventos celebravam o começo do ano e o início do terceiro mandato do Bacurau, como é conhecido pelos venturosenses. Mas passada a euforia, é preciso lembrar do grande desafio de Eudes.

O prefeito terá de usar de toda sua inteligência para realizar uma boa gestão nesse quadriênio. O Brasil enfrenta uma crise sem precedentes em sua história recente. Uma crise econômica, social e política. O fantasma da seca continua nos assombrando e o Estado de Pernambuco anda com a corda próxima ao pescoço. A PEC que limita gastos públicos irá colocar menos dinheiro na saúde e educação a partir de 2018. A reforma previdenciária de Michel Temer, caso aprovada, fará milhões de brasileiros ganharem menos de um salário mínimo em seus benefícios. Também ocorrerão cortes em programas como Bolsa Família. Em alguns municípios os governos estadual e federal não têm honrado o pagamento dos carros pipa e caso La nina se atrase e as chuvas demorem, a situação não será fácil.

O prefeito tem boas ideias e projetos audaciosos como a construção de uma enorme barragem com capacidade de abastecer não só Venturosa como parte das cidades vizinhas. Na parte administrativa quer centralizar os principais órgãos e secretarias num único prédio, agilizando e modernizando sua gestão e o atendimento a populares e servidores municipais.


O grande desafio de Eudes será fazer mais com menos, usar de sua habilidade política para manter um grupo tão grande e plural unido e coeso e manter a cidade em processo de desenvolvimento. “O Bacurau voltou”, me disse um amigo entusiasmado. Que ele faça um bom governo é tudo que podemos desejar.

Ex-diretora de Cultura de Venturosa, Iraneide Alexandre, emite nota de agradecimento



A cultura tem por definição o conjunto de manifestações artísticas, sociais e comportamentais de um povo ou região. Ciente disso, o prefeito Ernandes Albuquerque entendeu que Venturosa precisava resgatar a IDENTIDADE CULTURAL esquecida e soterrada ao longo da história da nossa cidade, da nossa gente. Muito foi feito, embora saibamos que muito ainda há que se fazer para que Venturosa se mantenha viva como parte cultural de Pernambuco e do Brasil.

Enfrentamos grande lutas e inúmeros desafios para levar a cultura de Venturosa ao conhecimento e ao reconhecimento tanto do Estado, quanto do país e o que tornou tais feitos possíveis foi o empenho, a coragem e a vontade de fazer uma gestão verdadeiramente voltada para o nosso povo, inclusive para as nossas raízes culturais e nossa dignidade cultural outrora perdida. É por este e outros fatos que a gestão do prefeito Ernandes Albuquerque conquistou o respeito e a admiração de todos nós que fazemos Venturosa.

Ernandes, Venturosa lhe será imensamente grata pela nobreza com a qual governou para nossa gente e, principalmente, pelo zelo com o qual tratou nossa história, nossa arte, nossos costumes.
Não obstante, eu, Iraneide Alexandre, Diretora de Cultura na sua Gestão, lhe sou da mesma forma agradecida. Grata pela confiança em um trabalho de tamanha magnitude que foi dedicadamente realizado com o seu incondicional apoio. Grata pelo valor que deu a nossa cidade, a nossa gente e a nossa história. Como cidadã e, sobretudo, como EDUCADORA reconheço a importância que sua gestão trouxe para a história política e social de Venturosa. Obrigada, Ernandes! Obrigada, Venturosa, pela sensação do dever cumprido com excelência!

domingo, 1 de janeiro de 2017

ENTREVISTA COM O PREFEITO ERNANDES ALBUQUERQUE

Prefeito Ernandes - Foto de Nilton Santos - NF Studio.


O BLOG INICIA 2017 com uma grande matéria. Trata-se de uma entrevista com o prefeito em exercício, Ernandes Albuquerque, realizada no último dia de 2016. Há muito tinha o desejo de entrevistar o prefeito. Ficamos em lados opostos nas eleições municipais que ele disputou, mas isso não inviabilizou o diálogo. Chamou-me atenção a maneira como Ernandes conduziu seu mandato, a atenção que dispensou a alguns setores da administração municipal e como a cidade continuou a crescer mesmo diante da maior seca dos últimos anos. Um prefeito bem avaliado que poderia ter concorrido a uma reeleição e preferiu ouvir a voz das ruas expressa em pesquisa de opinião e abrir mão do processo para que o atual prefeito pudesse concorrer e o grupo seguisse unido. Um homem atípico em nossa política municipal deve registrar suas opiniões. A entrevista tornou-se quase que uma obsessão para mim. Levou tempo para conseguir realiza-la. Sempre que tentávamos as obrigações do Executivo fazia que o momento fosse adiado. Enfim, no apagar das luzes de 2016, conseguimos realizar a entrevista que você lerá a seguir.
 Ernandes vem de família tradicional na política. Seu tio Justino Alves foi o único deputado eleito por Venturosa, seu pai foi vice prefeito por duas vezes na cidade da Pedra e desde sua juventude Ernandes esteve envolvido de alguma forma na politica de Venturosa. Em toda sua trajetória se manteve  no mesmo grupo político e há quatro anos disputou a sua primeira eleição para prefeito.
 Há quatro anos fiz uma série de micro entrevistas com todos os pré-candidatos a prefeito de Venturosa. Entre eles o senhor Ernandes  da Farmácia, agora, quatro anos depois, faço a entrevista com o prefeito Ernandes. Boa leitura!

O senhor está concluindo o seu mandato. Como estava o município quando o senhor assumiu e como está agora após quatro anos de sua gestão?

Assumi o governo após dois mandatos bem avaliados do prefeito Eudes, meu correligionário. Ambos fomos eleitos pelo mesmo partido, o PR,  representando o mesmo grupo político. Venturosa tem avançado muito nos últimos anos, sendo uma das cidades que mais cresce em nossa região. Mesmo diante da maior crise politica e da pior seca dos últimos 50 anos, mantemos a máquina funcionando de forma correta, com todos os serviços sendo feitos para a população e agora, entregamos a maior obra de saneamento básico da historia da cidade, orçada em 22 milhoes de reais. Nesses quatros anos pude entregar escolas reformadas, água na torneira pra 500 famílias da zona rural, 35 mil metros quadrados  em calçamentos, 3 novos postos de saúde entre outras coisas, então acredito que muito foi feito nestes quatro anos pelo o povo de venturosa. Gostaria de ter feito mais, acredito que todo político pensa assim, “queria poder fazer mais”, mas sei que dentro das possibilidades, fiz muito pelo nosso povo.

Quais as maiores dificuldades encontradas pela sua administração?

Esta foi a primeira vez que disputei uma eleição e o meu primeiro mandato como prefeito. Eu já tinha uma história no grupo político verde-amarelo, já havia auxiliado prefeitos, mas foi a primeira vez que tive a responsabilidade e o poder de decisão. Então admito que o meu primeiro ano foi o mais difícil para conhecer a fundo a administração e “pegar o jeito” de governar. Ninguém nasce pronto e sempre temos que estar dispostos a aprender,  ter humildade para saber ouvir pois acho que governando de forma participativa a gente acerta muito mais.

O senhor deixa o governo com uma aprovação de mais de 60%. Como conseguiu isso?

Ouvindo as pessoas que querem o bem de Venturosa, independente de sua preferência, de sua fé e de suas opiniões pessoais. Muita gente ficaria impressionada de ver a quantidade de pessoas que querem o bem da cidade. Elas estão nas igrejas, nas associações, envolvidas com esporte, muita gente quer ajudar e dar boas ideias. Governar para todos tem de ser compromisso do prefeito. Também procurei sempre trabalhar em equipe, valorizando os funcionários, dividindo as vitorias com nossos colaboradores e com vontade de servi quem em mim confiou, com simplicidade e vontade de acertar.

Como foi o seu relacionamento com políticos e lideranças de partidos opositores?

Meu palanque foi desarmado no momento que acabou a eleição, assumi a missão de governar para todos os venturosenses e assim fiz. Como falei anteriormente, muita gente tem o desejo de ver a cidade crescer, então temos de ouvir. As vezes dá pra fazer, as vezes não dá, mas as boas ideias são aproveitadas. Os partidos existem e cada um tem seu jeito só que nós que exercemos mandato com humildade sabemos que mais importante que os partidos são as pessoas. Não consegui agradar a todos e acho que ninguém consegue. Como já disse atravessei as piores crises da historia, então fiz o que podia para melhorar a vida das pessoas. Isso é que é o mais importante.


Qual foi a prioridade do seu governo?

Ser um bom prefeito para Venturosa. E para ser um bom prefeito procurei tratar a todos como iguais. Então como todos são iguais quis fazer obras na cidade e nas comunidades rurais. Hoje fico feliz por ver que pude fazer algo pelos outros e que isso vai ficar depois que eu deixar o governo. Minha prioridade foi tratar bem o povo e procurei fazer isso todos os dias.


Vamos falar sobre as obras realizadas durante seu mandato. Quantas foram quais as mais importantes para a população?

Acho que todas foram importantes. Muito me alegrou em trazer os 22 milhões em saneamento, tirar as famílias da lama e da poeira com as varias ruas calçadas nos 35 mil metros quadrados de calçamento, as águas na torneira na zona rural, a saúde que recebeu muito investimento na cidade e zona rural, a perfuratriz que trouxe pra aliviar o problema da seca, os sistemas de irrigação por gotejamento, os vários poços perfurados atendendo ao povo, os vários carros a serviço da saúde municipal, os ônibus para os nossos estudantes, cada coisa dessa é importante para quem precisa ou precisou dela. Não sei dizer qual foi a mais importante, mas o povo que foi atendido sabe.

O que o senhor gostaria de ter feito e não pôde fazer?

Como disse antes, a gente sempre tem a ideia de que poderia ter feito mais. Eu queria poder ter feito tudo para acabar com os problemas que a cidade ainda tem. Ainda temos desemprego, tem gente que precisa de assistência, tratamentos que ficam fora de nossa possibilidade de oferecer, então, como não posso fazer tudo o que eu queria porque tem coisas que a lei não permite ao município fazer,  fiz o que foi possível  fazer.


Houve muitos investimentos na zona rural do município. As melhorias que o senhor quis implantar já são sentidas pelo povo ou só quando passar essa estiagem?

Olhe, essas ações do nosso governo Já estão servindo muitas famílias que não tinham acesso a água nem pra gastos em casa nem para os seus animais. Imagine, numa seca dessa, nossos agricultores sofrem sem água, então hoje tem na maioria da zona rural de Venturosa obras para levar água até as pessoas e vai ter mais depois dessa perfuratriz. Hoje já deixamos água mineral para as famílias da Pedra Fixe, Ouro Branco e sítios vizinhos através dos dessalinizadores agora instalados. Alem das grandes barragens comunitárias dos sítios Sete Quadros, Serra do Totel, Barbado, Ouro Branco e tantos outros que  receberam uma grande quantidades de horas maquinas para quando as chuvas voltarem poderem guardar água por longos períodos. 

Na área cultural o senhor conseguiu inovar resgatando costumes populares. O arraial na minha rua foi um sucesso. Como surgiu essa ideia?

Foi de um grande amigo pelo qual tenho um profundo respeito e que prefere não ser citado mas sempre esteve presente nos momentos em que precisei de uma opinião segura e correta para o bem de Venturosa. A ideia foi lançada e executada de forma brilhante pela minha equipe de cultura. Nossa gente aceitou a ideia e fez bonito animando e embelezando suas ruas. Hoje quase todas as ruas da cidade querem sua quadrilha bonita e organizada. Acredito que resgatamos uma bela festa para as famílias de Venturosa e que ela será mantida pelo povo.


Outro evento criado em seu mandato que chamou atenção foi a festa de 15 anos para alunas da rede municipal.  

Esta com certeza foi uma das mais gratificantes pois trouxe muitas alegrias paras as famílias das jovens debutantes que recebem com carinho esta idéia que partiu da  minha esposa France. Ela se sensibilizou e se esforçou  para que este evento fosse significativo para as alunas da rede municipal. Somente uma moça sabe o quanto uma festa de quinze anos é importante e a gente ofereceu o melhor que podia para que esse baile fosse marcante na vida delas. Essa foi outra ação que me deixou muito feliz.

Muitos dizem que um dos diferenciais do seu governo foi a forma como as pessoas foram tratadas e o senhor admitiu que foi uma de suas prioridades. O seu jeito é esse mesmo?

Quem pode avaliar melhor são aqueles que precisaram trabalhar ou conversar comigo nesses quatro anos. Quando a gente é prefeito sente que exerce poder e tem de ter cuidado com ele. Pedi sempre a Deus para que esse sentimento não subisse a cabeça porque é passageiro. O poder é para servir quem precisa, não para humilhar. Então pedi muito a Deus para saber servir. Acho que esse é o meu jeito.

Seu governo também foi alvo de algumas críticas, principalmente em relação a Unidade Justa Maria Bezerra. As críticas foram justas? O que faltou e o que o senhor melhorou no atendimento de saúde de nosso município?

Entendo que todos os que emitem críticas  pensando no bem de Venturosa devem ser ouvidos e respeitados em suas opiniões. Críticas verdadeiras e sinceras sempre podem trazer algo para melhorar em todos os setores, mas também tenho certeza que o hospital de Venturosa obteve um dos melhores desempenhos entre outros da região. Atendemos pacientes de varias cidades vizinhas, mas somos limitados pela lei pelo tipo de atendimento que podemos prestar. Casos mais complexos não podem ser atendidos em unidades como a Justa Maria Bezerra. Mas quero lembrar de um momento trágico em que nossos profissionais mostraram que nossa gestão sempre levou a sério o serviço prestado. Num momento difícil quando um acidente de transito vitimou atendemos e removemos 10 pacientes em 4 horas, recebendo elogios por parte do governo. Para nós que rebemos poucos e limitados recursos, fomos indicados pela boa gestão e melhoria nos índices de saúde do município. Acredito que conseguimos fazer muito nesses quatro anos.

Aparentemente a prefeitura funcionou bem em sua gestão. Como o senhor entregará o município ao prefeito eleito?


Em ritmo acelerado de desenvolvimento. Temos grandes obras prontas e muitas outras em andamento. Como já citado, a máquina está organizada. Acredito que a gestão que se inicia também será uma boa gestão pois vai encontrar a casa em ordem e pessoas preparadas para auxiliá-lo. Admito que sempre tem algo pra ser feito e cada gestor deixa sua marca. Trabalhamos muito e nos esforçamos para cuidar bem das pessoas.

Deixando o mandato, também vai abandonar a vida pública?

Dizia o saudoso Miguel Arraes que a política só tem uma porta: a de entrada. Desde os meus 30 anos que assumi um lugar no cenário político de Venturosa e hoje termino meu primeiro mandato com 60 % de aprovação. A política é necessária para que todo cidadão participe da sociedade de forma mais direta. Quando se entra na politica,  aumenta o desejo de servir as pessoas e a vontade de fazer pelos que precisam.  Na boa política existe doação, e depois que a gente entra nisso permanece o desejo de fazer mais e a visão de que é possível fazer. Agora cada coisa tem seu tempo, seu tipo de ação. Permanecer na política não é o mesmo que me lançar candidato de novo. Vamos colocar assim, eu deixo a prefeitura hoje, mas nunca vou deixar de estar com o povo. Sou político há muito tempo sem nunca ter tido mandato. O mandato acabou, o homem continua aqui, o amigo de todos. Não me afastarei de ninguém. Se política é serviço, quero continuar servindo a todos dentro de minhas possibilidades como sempre fiz.

Uma mensagem para os leitores do blog

Quero agradecer a você pela seriedade com que trata os temas de nossa cidade em seu blog. Hoje seu blog tem um alcance muito grande e isso é porque as pessoas confiam no seu trabalho.
Para os meus amigos leitores desse blog e a todos venturosenses quero deixar uma mensagem de paz e união. Desejo a todos que esses sentimentos bons que nos envolvem nesse período natalino e de final de ano nos acompanhe sempre para que possamos ser solidários com os outros todos os dias do ano. Encerro esse mandato com o sentimento de missão cumprida, sabendo que pode ter havido falhas, mas o desejo de acertar foi maior. Saio da prefeitura mas o desejo de servir ao povo não acaba por conta disso, então penso que cada um deve fazer sempre o que estiver a seu alcance para fazer uma cidade melhor, que continuemos a acreditar em nossos sonhos para que Deus nos dê força de alcança-los.
Vocês são a razão para que acreditemos que uma cidade melhor é possível.
 Que Deus abençoe cada jovem, homem, mulher e todas as famílias de Venturosa.

Um cheiro no coração de vocês e que 2017 traga muitas felicidades para todos!